Central de atendimento: (13) 2104-5000 | Chat

Sintomas e tipos de Conjuntivite

Conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, e não se trata de uma doença grave, porém é incômoda e transmissível. Transmitida por um vírus, a causa da conjuntivite pode ser infecciosaalérgica ou tóxica.

Sua transmissão se dá por meio do contato direto da mão infectada com o olho. A mão pode ser contaminar por meio de objetos de uso comum, como telefones, maçanetas, computadores, e em locais públicos como piscinas, elevadores, ônibus, entre outros.

Em geral, a conjuntivite leva aproximadamente 15 dias para se curar, e é comum que se inicie em um olho e rapidamente passe para o outro.

Veja abaixo um pouco mais sobre cada tipo:

Conjuntivite infecciosa (viral)

O tipo mais comum de conjuntivite, é transmitida por vírus ou bactérias. A contaminação acontece pelo ar, principalmente em ambientes fechados ou com baixa circulação de ar, além do uso de objetos contaminados, contato direto com a pessoa contaminada ou até mesmo pela água da piscina. A transmissão por vírus é mais frequente, existindo diferença entre eles, onde alguns se mostram mais agressivos – provocando maior desconforto ao paciente. Esse tipo requer certos cuidados especiais para evitar a transmissão.

Sintomas: olhos vermelhos, coceira, lacrimejamento, sensibilidade à luz e secreção branca ou amarelada – podendo ocorrer também febre, dor de garganta e dores pelo corpo.

Conjuntivite alérgica

Na grande maioria das vezes, ocorre nos dois olhos e em pessoas já predispostas à alergia – que já possuem rinite, bronquite ou outras atopias. Esse tipo não é contagiosa, mesmo que em alguns casos se apresente antes em um olho e depois no outro.

Sintomas: coceira nos olhos e/ou pálpebras, olhos vermelhos, e secreção pegajosa e clara. Pode acontecer de melhora e reincidência, onde deve ser encontrada a causa da conjuntivite no paciente, variando em cada pessoa.

Conjuntivite tóxica:

Causado pelo contato direto com o agente tóxico, que muitas vezes pode ser medicamentoso (como colírio, por exemplo). Em alguns casos, ocorre em recém-nascidos, devido ao uso obrigatório de colírio no nascimento. A pessoa deve se afastar do agente causador, e lavar os olhos com água abundante. Em casos de causa medicamentosa, mediante orientação médica, deve-se suspender o uso do mesmo.

Ficou com dúvida sobre algum termo nesse post? Acesse o nosso glossário oftalmológico.